Consultoria e Treinamento Empresarial

  • Home
  • MQS
  • Equipe
  • Eventos e Cursos
  • Produtos
  • Artigos
  • Imprensa
  • Galeria de fotos
  • Contato
  • Imprensa

    Seja visto!

    Veja a matéria no PORTAL EMPREGOS: http://migre.me/XdE7

    Atraia as empresas com um currículo alinhado à vaga anunciada

    Sintético, objetivo, focado. Um bom currículo deve primar por estas três características. Autopromoção não é indicado nesta hora. O ideal é elaborar o documento alinhando perfil profissional, vaga e valores da empresa. “Um currículo com foco profissional é construído com informações primordiais para que o recrutador conheça o histórico, a formação e as realizações do candidato”, ensina o consultor Paulo Queija, diretor da MQS Consultoria e Treinamento Empresarial.

    Enviar uma enorme quantidade de currículos não é sinônimo de retorno. “Leia antes o que pede a vaga”, orienta Ana Cristina Limongi, docente do Programa de Gestão de Pessoas da Fundação Instituto de Administração (FIA). Na linguagem corporativa, verifique quais são os pré-requisitos para a vaga.

    Facilite também o contato entre você e a empresa. Mantenha atualizados os dados pessoais, atrele seus objetivos de carreira às habilidades que possui. Formação e experiência profissional (da atual para a mais antiga) são igualmente pontos fundamentais.

    Outro cuidado importante: ao enviar o currículo siga o caminho indicado pela empresa ou pelo recrutador. Os sites de recrutamento se encarregam de realizar esta ponte, todavia, não deixe de acompanhar as vagas diariamente e, da mesma forma, encaminhe o documento, caso a vaga lhe interesse.  

    Objetivo e experiências profissionais
    Estes dois itens são inseparáveis. Objetivar uma vaga sem ter vivência na área denota falta de foco profissional. Se você tem o intuito de concorrer a uma vaga na qual não tem experiência alinhe o seu objetivo à sua formação ou às habilidades desenvolvidas em outras atividades que são requeridas para o cargo em questão. Entretanto, se o seu objetivo não condiz com outros itens do seu currículo não o envie à empresa. Esta incoerência revela falta de perfil para a vaga.

    Pretensão salarial
    Defina o valor a receber com base em suas expectativas atreladas ao que se paga no mercado. Pesquise o salário médio em sites de recrutamento, jornais ou publicações especializadas.

    Atualize-se
    Fique atento às exigências do mercado de trabalho. Elas variam conforme o cargo, o nível profissional e a empresa, mas alguns requisitos são padrões. Determinadas áreas exigem especialização, certificados técnicos, conhecimento em línguas estrangeiras. Se o seu currículo está aquém do que se pede no mercado está na hora de dedicar-se mais à carreira.

    Drible as dificuldades
    Se você está desempregado há muito tempo e não consegue encontrar emprego mesmo que esteja à procura, uma solução é enviar currículo para uma vaga de nível inferior a sua experiência profissional.

    No entanto, esteja consciente de que esta decisão terá consequências financeiras, o que poderá comprometer sua satisfação profissional. Seu currículo poderá ainda ser descartado pelas empresas, justamente por considerarem sua qualificação superior ao que pede a vaga. Ainda assim, se você precisa recolocar-se talvez valha a pena arriscar por este caminho, já que sua formação e experiência podem também ser encaradas como fator positivo pela organização. Nesse caso, existe inclusive a possibilidade de rápida ascensão profissional.

    Networking
    Você conhece quantas pessoas que conseguiram emprego por indicação? Segundo consultores de carreira, além de um currículo alinhado à vaga, uma boa rede de contatos pode lhe proporcionar visibilidade. O networking, tanto o presencial como o feito pela internet - principalmente por meio das redes sociais -, porém, precisa ser realizado de forma profissional e cautelosa.

    “Redes sociais são espaços públicos e também têm efeito de triagem em um processo de seleção. O candidato deve ser criterioso no que diz nelas, precisa tomar cuidado com os excessos”, adverte Ana Cristina Limongi, da FIA.

    Para o consultor Paulo Queija, manter os contatos ativos através do e-mail, telefone, Messenger ou mesmo das redes sociais, propicia uma relação de mão dupla. “Acionar os seus contatos somente quando você precisa de algo, contudo, revela egoísmo e pode arruinar sua imagem”, afirma.
     

    « Voltar